Educação a distância “EAD”: Sua importância na pandemia

32
Educação a distância EAD Sua importância na pandemia - Blog Brasil

A nova pandemia do coronavírus causou várias mudanças em diferentes setores da sociedade.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre quarentena e isolamento social foi amplamente adotada pelos países afetados. No Brasil, negócios irrelevantes foram fechados e as aulas foram suspensas em todas as modalidades de ensino.

Uma alternativa encontrada pelas instituições foi a ampla adesão à educação a distância. As aulas online passaram a fazer parte da rotina de milhares de estudantes brasileiros e até foram adotadas por profissionais autônomos como alternativa para superar a crise atual.

A educação a distância já passou por um desenvolvimento constante no país, mas já se tornou uma prática comum no ensino fundamental, ensino superior e outras modalidades.

Educação a distância na pandemia 

Nos últimos anos, a educação a distância experimentou um grande crescimento no país. Somente no ensino superior o número de matrículas na educação a distância já supera o dos cursos de tempo integral. Em 2019, mais de 1,4 milhão de alunos cursavam educação a distância, o que representa 52% do total de alunos matriculados. Junto com a suspensão das aulas por isolamento social, o Ministério da Educação (MEC) permitiu a realização de cursos a distância em tempo integral até a normalização da situação no país.

À medida que a pandemia avançou no Brasil, o Conselho Nacional de Educação (CNE) permitiu que atividades e educação não presencial sejam aceitas em todas as fases do ensino, da educação infantil ao ensino superior. Portanto, a partir do ensino fundamental, essas atividades podem contar para o cumprimento da carga horária obrigatória.

Outra medida adotada pelo MEC é que em 2020 o ano letivo pode ter menos 200 dias. No entanto, a obrigação de 800 horas por ano é mantida para escolas de todo o país.

Desafios do ensino EAD na quarentena - Blog Brasil
Desafios do ensino EAD na quarentena – Fonte: VozProf

Desafios do ensino EAD na quarentena

Para muitas instituições e profissionais, a educação a distância surgiu de repente e a adaptação à nova modalidade teve que ser imediata. Isso é evidenciado pelos 83% dos professores que não se sentem preparados para ensinar online. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Península e avaliou 7.734.000 respostas de professores de todo o país no período de 13 de abril a 14 de maio de 2020.

A educação infantil, etapa que geralmente ocorre pessoalmente, é a que mais tem sofrido. Os professores precisam fazer malabarismos para criar vídeo-aulas e chamar a atenção dos alunos para assistir as aulas.

Bolsas de estudo para cursos EAD 

Diante do cenário atual, fica claro que a educação a distância foi a principal alternativa para manter seus estudos mesmo em quarentena. Você pode contar com o Educa Mais Brasil para ter acesso a um ensino de qualidade a um preço que cabe no seu bolso.

O programa oferece até 70% de desconto nas mensalidades até o final do curso em diversas modalidades, incluindo graduação, pós-graduação, idiomas e estudos técnicos. Acesse o site e encontre a oportunidade perfeita para você.